Com chapa pura em MS, PT quer palanque para Lula e 20% dos votos, diz Vander

0

Com uma campanha efetiva de pouco mais de um mês, o deputado federal e candidato à reeleição, Vander Loubet, acredita que seu partido, o PT, pode repetir história de 20 anos atrás, e chegar ao 2º turno nas eleições gerais de outubro em Mato Grosso do Sul. O partido realiza seu encontro estadual, para definir candidatos no próximo sábado (28), às 8h na Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul).

“Nosso objetivo é fazer que com que o Humberto (Amaducci, pré-candidato da sigla) chegue aos 20% (da intenção de voto), que é a preferência que o PT tem. Em setembro de 1998 o Zeca (ex-governador e pré-candidato ao Senado) estava com 13% no começo de setembro, no final (do mês) chegou aos 20% e ficou para o 2º turno contra o Bacha (ex-secretário estadual de fazenda, Ricardo Bacha).

De acordo com o deputado, pesquisas recentes mostram que o PT encabeça a preferência de 21% dos eleitores no país, há dois anos, nas eleições de 2016, este índice estava em 6%, e no auge do governo Lula chegou a 26%.

Estes números, aliados à ‘motivação da militância’ e ao palanque com estratégia de defesa das conquistas do governo Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff, bem como da própria gestão de Zeca em MS, podem fazer com que o partido surpreenda nas eleições.

Vander reforça o discurso petista de que a sigla tem apenas um plano A para a presidência da República, a candidatura de Lula, e que uma campanha majoritária no Estado também será usada pelos petistas para propagar a defesa do ex-presidente, que mesmo preso lidera as pesquisas de intenção de voto.

Outra fator que pode auxiliar na campanha do PT em Mato Grosso do Sul é a relação institucional do mandato de Vander, e do também deputado federal Zeca do PT, com o governo estadual e com os municípios, principalmente do interior, onde a carência de recursos torna a verba federal imprescindível para o desenvolvimento regional.

“A experiencia que eu tenho, até por ter sido secretário de governo e nos 16 anos como deputado federal, de conhecer a máquina pública por dentro, isso contribuiu muito. Temos uma característica em MS, que é um Estado pequeno, de precisar do dinheiro do OGU (Orçamento-Geral da União), como investimentos para os equipamentos nos municípios, como creches, postos de saúde e escolas”, finalizou Vander Loubet.