Elizeu Dionísio: o deputado de MS que queria impeachment, recebeu R$ 2,6 milhões e salvou Temer

0

O deputado federal Elizeu Dionísio, do PSDB, mudou misteriosamente de posicionamento em relação ao presidente Michel Temer (PMDB). Quando foi divulgada a delação premiada da JBS, Elizeu era favorável ao afastamento e impeachment de Temer. Entretanto, durante a votação da denúncia da Procuradoria Geral da República contra Michel Temer, Dionísio ajudou a manter o presidente no cargo.

Pouco antes da votação que salvou Michel Temer, o deputado de Mato Grosso do Sul recebeu R$ 2,6 milhões em emendas parlamentares. Logo depois, votou favorável ao presidente da República.

Em maio, quando o sócio proprietário do Grupo JBS, Joesley Batista, divulgou áudio que mostrava o envolvimento de Michel Temer em caso de corrupção passiva, o deputado federal assinou o pedido de impeachment do presidente Michel Temer. Na época, Elizeu afirmava que o PMDB precisava ter o mesmo tratamento que foi dado ao governo do PT.

Elizeu gravou vídeo defendendo o afastamento e impeachment de Temer. “Mas esse grupo politico não entendeu e continuou com as velhas práticas. Precisamos medir o Michel Temer e todo seu grupo da mesma forma que tratamos o PT. O meu posicionamento é pelo afastamento imediato de Michel Temer. Não podemos permitir que o Brasil seja pauta de vexame internacional, com um presidente envolvido em corrupção”, disse.

Mas…

Integrante da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados, Dionísio não posicionou sobre seu voto desde a chegada da denúncia por lá. Ele foi alvo de forte assedio por parte da presidência da República. Temer chegou a se reunir com Elizeu Dionísio para que votasse contra a denúncia.

O presidente também pediu ajuda ao governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), para que convencesse Elizeu a votar favorável ao governo. As vésperas da votação, o deputado teve R$ 2,6 milhões em emendas liberadas pela Presidência da República.

Após votar contra o pedido de investigação do presidente Michel Temer pela Procuradoria Geral da República, Elizeu Dionísio publicou em seu perfil no Facebook: “O que faço agora, não podes compreender, todavia compreenderas mais tarde. João 13:7b”.