Evento debateu a implantação de um Mercado Municipal em Amambai

0

Amambai (MS)- Com o auditório da Universidade Estadual de Mato grosso do Sul (Uems) de Amambai, repleto de autoridades e, principalmente, pequenos produtores rurais do município, foi debatido na noite de ontem (24), a implantação de um mercado municipal em Amambai.

De iniciativa, da própria Uems em parceria com a Rádio Auxiliadora 105,9, o evento “Mercado Municipal de Amambai em Debate” visou oportunizar um espaço de debate acerca de geração de renda e de sociabilidade a partir das potencialidades existentes no município considerando os aspectos econômicos e culturais.

Tais aspectos, segundo um dos idealizadores e mediador do debate, professor doutor, Fabrício Deffacci, emergem por meio da produção relacionada à agricultura familiar, o artesanato e diferentes manifestações culturais, dentre as quais destaca-se a música e o teatro local.

Um dos idealizadores e mediador do debate, professor doutor, Fabrício Deffacci / Foto: Moreira ProduçõesUm dos idealizadores e mediador do debate, professor doutor, Fabrício Deffacci / Foto: Moreira Produções

“A Uems se dispôs a criar este espaço de debate para dar maior visibilidade e força a esses produtores, para que se crie uma política pública a fim de implantar o mercado municipal”

— Fabrício Deffacci

“Há um potencial produtivo muito grande aqui no município, junto o potencial artístico e artesanal, mas falta esse espaço que possibilite a geração de renda, então a Uems se dispôs a criar este espaço de debate para dar maior visibilidade e força a esses produtores, para que se crie uma política pública a fim de implantar o mercado municipal, onde será um espaço de sociabilidade, divulgação e geração de renda para os munícipes”, explicou o doutor, que é mestrando de Desenvolvimento Regional.

Programação

A programação teve início com uma palestra do engenheiro agrônomo, Ronaldo Botelho, da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), de Naviraí. Ele foi o responsável pela criação de uma feira-livre no município, que posteriormente tornou-se o Mercado Municipal, local onde cerca de 40 comerciantes, dentre eles, pequenos produtores rurais, comercializam os seus mais variados produtos.

Em sua fala, Botelho afirmou que a maior dificuldade enfrentada pelo país hoje, é os empasses encontrados na geração de empregos. “O câncer do Brasil hoje não é a corrupção como muitos pensam, não são as crises na área da saúde, o câncer do país hoje é a dificuldade de gerar empregos (…) não adianta construirmos mil casas e abrigarmos mil famílias, se essas famílias não terão um emprego para se manter”, explanou o engenheiro agrônomo.

Botelho afirmou que com a implantação do projeto em Amambai, muitos empregos diretos e indiretos serão gerados, contribuindo assim, com o desenvolvimento do município.

Uma palestra do engenheiro agrônomo, Ronaldo Botelho, da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), de Naviraí / Foto: Moreira ProduçõesUma palestra do engenheiro agrônomo, Ronaldo Botelho, da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), de Naviraí / Foto: Moreira Produções

Demandas

Durante o debate, que foi transmitido ao vivo pela Rádio Auxiliadora, comerciantes dos mais variados ramos, representantes de segmentos da sociedade e pequenos produtores enfatizaram suas demandas, ressaltando a importância do Mercado Municipal para o desenvolvimento de seus projetos.

O presidente da Associação dos Piscicultores de Amambai (APA), Sérgio Oliveira Nunes, afirmou que são produzidas cerca de 30 toneladas de peixe no município e destacou dificuldade encontrada pelos piscicultores na inserção dos seus produtos no comércio local. Ele ainda aproveitou e fez um apelo aos vereadores presentes, para que se lembrem dos piscicultores em seus pronunciamentos no Legislativo.

A atriz e professora de teatro, Alessandra Tavares também manifestou o seu apoio na implantação do espaço para o comércio de produtos em Amambai, que servirá também como um espaço propagador da cultura. “Como um espaço democrático, haverá também mostras culturais, de dança, de música e também de teatro (…) Não será apenas um lugar de compras, mas também um local de contato com a cultura.

Vereador Ismael Kaiowá / Foto: Moreira ProduçõesVereador Ismael Kaiowá / Foto: Moreira Produções

O vereador Ismael Kaiowá, na oportunidade representou os cerca de 12 mil indígenas residentes em Amambai e denunciou o preconceito sofrido por indígenas que tentam comercializar seus produtos na cidade. “O índio também produz, mas quando ele vem vender na cidade, as pessoas desfazem, por isso nossa maior dificuldade hoje é convencer nossos produtores da aldeia que seu produto tem o mesmo valor do produto produzido na cidade”, disse o vereador.

Autoridades também se posicionaram

Os vereadores Janete Córdoba, Dilmar Bervian, Carlinhos, Humberto Hassegawa , além de secretários municipais como Anilson Prego e Williams Fernandes estiveram presentes no evento e também se posicionaram em favor da criação do Mercado Municipal.

“É necessário que os nossos produtores e comerciantes tenham comprometimento com o mercado”

— Vereador Carlinhos

O presidente do Legislativo, vereador Calinhos, afirmou que a Câmara é favorável, porém para a real implantação do mercado, os produtores e comerciantes devem ter boa vontade e compromisso. “Claro que vamos abraçar um projeto bem elaborado que visa o desenvolvimento do município, mas é necessário que os nossos produtores e comerciantes tenham comprometimento com o mercado”, afirmou.

O secretário municipal de Agricultura, Anilson Prego agradeceu a presença da imprensa local no debate. Segundo ele, assim a população terá acesso as demandas expostas e passará a discutir nas ruas, o que fará com que o projeto ganhe ainda mais força.

Já o secretário municipal de Fazenda, Williams Fernandes, que na oportunidade esteve representando o prefeito de Amambai, Dr. Bandeira, parabenizou a iniciativa da Uems e colocou a Prefeitura Municipal à disposição.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA