Maia diz que regras do Congresso para as eleições são injustas

0

Francisco Maia, ex-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), após 120 dias de pré-campanha, em que percorreu boa parte do Estado, desistiu de concorrer a uma vaga ao Senado Federal pelo partido Podemos. A justificativa dele é de que as regras estabelecidas pelo Congresso Nacional, para as eleições, são “injustas”.

“As regras são desiguais e injustas, pequenos partidos, com novas pessoas, que querem entrar na política, ficam sem as mesmas possibilidades para concorrer com quem tem tempo de televisão”, observou.

Maia também ressaltou a falta de recursos partidários e decidiu que não poderia se comprometer financeiramente e fazer campanha com apenas o seu Cadastro de Pessoa Física (CPF). “Por isso desisti, para não trazer mais constrangimento e encontrar mais dificuldades pela frente, resolvi parar”, declarou.

O ex-vereador atuou a frente da Acrissul por três mandatos, já foi presidente da Câmara Municipal de Campo Grande e vice-prefeito na gestão de Juvêncio César da Fonseca. Ele estava afastado da política há 30 anos e ao retornar Maia tinha fechado aliança na chapa majoritária com o PDT, partido do pré-candidato ao Governo do Estado e juiz aposentado Odilon de Oliveira.

Maia gravou vídeo e divulgou nas redes sociais agradecendo o apoio dos amigos e todas as pessoas que acreditaram nas propostas do empresário. “Quero agradecer todos aqueles que colocaram adesivos nos seus carros, agradecer ao partido, infelizmente vamos parar por aqui e eu espero que Deus ilumine o País, a consciência e as escolhas das pessoas e que escolham bem no dia 7 de outubro”, finalizou.