MS é protagonista de novo projeto de saída para o Pacífico

1

Um novo projeto de ligação bioceânica, exclusivamente por ferrovias, foi apresentado nesta terça-feira (19) na Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), em Campo Grande. O projeto bilionário que aproveita as ferrovias já existentes despertou a atenção do governo de Mato Grosso do Sul e tem atraído a atenção internacional.

De acordo com o coordenador do projeto da Ferrovia TransAmericana, Daniel Rossi, o presidente da Bolívia, Evo Morales, estimou que o investimento em todo o traçado, atravessando a América Latina, tenha um custo de US$ 10 a US$ 15 bilhões. Esse valor, no entanto, ainda não foi confirmado pelas empresas provadas que encabeçam o projeto. No Brasil, o investimento pode ficar entre R$ 1 bilhão e R$ 2 bilhões.

A TransAmericana irá reduzir a distância a ser percorrida pelos produtos até o mercado asiático em cerca de 20 mil quilômetros. A principal vantagem é o custo com o transporte. Outra, é a redução do tempo do percurso marítimo, em 20 dias. Os produtos chegariam ao Oceano Pacífico pelo Chile, visando o mercado asiático, em especial a China.

Os quatro produtos do Brasil mais importados pela China são: minério, soja, celulose e açúcar. Todos eles são produzidos em Mato Grosso do Sul. No estado, a intenção é ter Três Lagoas, Corumbá e Campo Grande ligados na Ferrovia TransAmérica. Entre os principais produtos do Estado a serem exportados para os Tigres Asiáticos são Minério de Ferro, produzido em Corumbá; a celulose e a madeira, de Três Lagoas; a cadeia bovina, combustíveis e a soja.

Concessão

O projeto ainda depende da ampliação da concessão ferroviária da Malha Oeste. O pleito, segundo Daniel Rossi, é de mais 30 anos, passando de oito para 38 anos. “Só para em pé este projeto com a Malha Oeste”, afirmou Daniel Rossi.

Projeto internacional

Os presidentes Michel Temer e Evo Morales já firmaram um memorando de entendimento entre os ministérios dos Transportes do Brasil e de Obras Públicas da Bolívia, para viabilizar o corredor ferroviário. E de acordo com Daniel Rossi, alemães demonstraram interesse em administrar a ferrovia.

O governador Reinaldo Azambuja destacou a viabilidade do traçado desse novo projeto. “Pela primeira vez temos um traçado bem feito de integração latino-americana”, afirmou. “Enxergamos um horizonte de oportunidades”. Azambuja afirmou ainda acreditar nos dois projetos bioceânicos: o rodoviário e o ferroviário.

O Projeto da Ferrovia TransAmericana envolve um consórcio de empresas privadas formado pela Rumo – Malha Oeste, Ferroviária Oriental (Bolívia), Ferroviária Andina (Bolívia), Transfesa, MP Trade (China/Brasil) e a empresa Hub Intermodal Três Lagoas.

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da Semagro, o governo de Mato Grosso do Sul tem participado dando segurança jurídica e fazendo a defesa do projeto. Reinaldo Azambuja conseguiu com o presidente Michel Temer a inclusão da TransAmericana na relação de projetos prioritários.

Viatura

Antes de participar da cerimônia na Semagro, o governador Reinaldo Azambuja entregou uma nova viatura, um jipe, ao Corpo de Bombeiros para combate a incêndios.

1 COMENTÁRIO

  1. There was a out-and-out of 8 companies represented in today’s forum examination, each targeting a different variety of customer online Le cours du bitcoin. While the target audience for the sake of these websites and to be sure their products may be different, the challenges with public media are very much the same.

DEIXE UMA RESPOSTA