O ano não está sendo bom para os trabalhadores, diz Humberto Vilhalva

0
Presidente do Simted de Amambai, Humberto Vilhalva / Foto: Moreira Produções

Amambai (MS) – Falta do cumprimento de acordos firmados com a categoria, inexistência de políticas públicas que valorizem a educação e, também, o anúncio de medidas retirando conquistas dos trabalhadores em educação foram apontadas pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica de Amambai (Simted), professor Humberto Vilhalva, como retrocesso na conquista de uma escola pública de qualidade.

Esferas de governo

No âmbito federal, Humberto demonstra preocupação com a Reforma da Previdência e a política de privatização que pode atingir o ensino público. Na esfera estadual, a proposta do aumento na contribuição previdenciária, de 11% para 14%, para os servidores; assim como, a possibilidade de não efetuar o pagamento do 13º salário, manifestada pelo governador, foram ressaltadas pelo presidente do Simted.

Já, no plano municipal, Humberto demonstra preocupação com a falta de pagamento do restante, referente à complementação do piso salarial nacional e, por último, o alto índice de evasão escolar, onde, cerca de 800 alunos do município migraram para a rede estadual de ensino, diminuindo os recursos repassados pelo Fundeb.

Humberto lembra também, que a eleição direta para escolha da direção das escolas, garantidas pela atual administração, ainda não foi encaminhada pela secretaria municipal de Educação.

“Ano complicado. Presenciamos ações administrativas retirando nossas conquistas e nada de novo está sendo proposto pelos governantes, para garantir uma escola pública de qualidade e a valorização da nossa categoria”, lamenta o presidente do Simted de Amambai.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA