Prefeito admite reduzir regras e liberar comércio se vírus não se espalhar

0

A prefeitura admite reflexibilizar algumas regras adotadas para conter a pandemia do novo coronavírus em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (27) pelo prefeito Hélio Peluffo Filho (PSBD) em reunião com representantes do comércio.

“Dependendo da situação sanitária desse final de semana, a Prefeitura de Ponta Porã poderá permitir o funcionamento do comércio no início da semana que vem, com estrita observância das regras da saúde (álcool gel disponível, distanciamento entre clientes, higienização das instalações, entre outras)”, afirmou o prefeito após a reunião.

Segundo Hélio Peluffo Filho, há entendimento comum quanto a essa flexibilização desde que sejam tomadas medidas de precaução. “Diálogo franco, aberto e responsável. Agradeço a solidariedade e compreensão dos empresários. Esse é o caminho certo nessa época tão difícil que atravessamos”.

No sábado (21) após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 em Ponta Porã, o prefeito determinou o fechamento do comércio e decretou toque de recolher das 20h às 4h. Nesta semana, a prefeitura lacrou o terminal rodoviário para impedir funcionamento de lojas e empresas de ônibus que insistiam em continuar atendendo. Duas igrejas do centro que faziam reuniões religiosas também tiveram de fechar.

A vizinha Pedro Juan Caballero está isolada com cerca de arame farpado instalada nesta semana pelo Exército paraguaio. O país vizinho está em quarentena total até domingo, com fronteiras, portos e aeroportos fechados.