Preso suspeito do assassinato de Rafaat quando fazia tatuagem em estúdio

1

Foi preso nesta terça-feira (27) no Rio de Janeiro, Elton Leonel Rumich da Silva, de 34 anos, suspeito pela morte de Jorge Rafaat Toumani. ‘Galã’ como é conhecido é apontado pela polícia como um dos maiores fornecedores de drogas do Paraguai para facções criminosas, além de ser apontado como chefe do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Brasil.

Elton foi surpreendido por policiais quando fazia uma tatuagem em um estúdio e aos militares apresentou um nome falso, mas os agentes já tinham conhecimento de sua identidade após trocas de informações da inteligência da Polícia de São Paulo.

‘Galã’ é acusado de ter participado da morte do narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, no ano passado. Segundo informações com a morte de Rafaat, o objetivo era assumir os negócios com o fornecimento de drogas na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Elton usava vários nomes na tentativa de despistar a polícia como, Ronald Benites, Oliver Giovanni da Silçva, Elton da Silva Leonel Gallant, Galan e Pakito. Ele estava foragido do sistema penitenciário.

Morte de Rafaat

No dia 16 de junho de 2016, ao sair de seu escritório em Pedro Juan Caballero, Jorge Rafaat Toumani foi atacado por um grupo de pessoas armadas com fuzis AK 47, Mag antiaérea e metralhadoras. Os suspeitos estariam em três veículos.

No local, além de centenas de capsulas de projéteis, a polícia também encontrou armas de grosso calibre, que furaram a blindagem do Jipe Hummer ocupado por Rafaat. Várias outras pessoas teriam ficado feridas, dentre elas um policial identificado como Jorge Espindola. Também há informação de que seguranças de Rafaat teriam morrido durante o tiroteio, que durou mais de 20 minutos.

(Com informações G1)