Casos confirmados de HIV aumentam 31% em Campo Grande

0

O Dia Mundial contra a Aids é lembrado nesta sexta-feira (1º) com dados preocupantes para a Capital de Mato Grosso do Sul. O número de pessoas infectadas com o vírus HIV aumentou 31% em relação ao ano passado. O balanço divulgado pelo programa IST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) aponta que foram 209 notificações em novembro, contra 159 casos em 2016.

A faixa etária que mais preocupa são os jovens, visto que pessoas entre 20 e 34 anos representam mais da metade das novas infecções atestadas este ano, que totalizam 135 exames positivos, contra 103 registrados em 2016.

Com objetivo de esclarecer a população, a secretaria de saúde iniciará intensa mobilização nas 67 unidades de saúde, universidades e também em um shopping da Capital. Outra ação que auxiliará na busca por diagnóstico é a ampliação de oferta de testes rápidos para toda rede de postos do município.

“A descentralização do teste rápido é o principal avanço na oferta do diagnóstico para a população e estamos trabalhando para concluir este ano com um aumento de 30% nos testes oferecidos”, explicou a chefe do Programa IST/AIDS, Denise Leite Lima.

Desde a última segunda-feira (27), equipes da Sesau realizam trabalho preventivo com distribuição de 158 mil preservativos masculinos, 5 mil femininos, 6 mil lubrificantes e 20 mil panfletos de materiais educativos nos bares e conveniências da cidade.

Para a médica infectologista da Sesau, Márcia Dall Fabro, o aumento de casos de HIV se deve, também, ao fato que as pessoas continuam tendo relações sexuais sem o uso do preservativo. “Não podemos mais dizer que a desinformação é a causa das infecções ou que não há conscientização. A informação está disseminada e as pessoas sabem que no sexo desprotegido elas correm o risco de contaminação, mas mesmo assim não usam o preservativo”, ponderou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA