Ex-boxeador Popó anuncia candidatura ao Senado pela Bahia

3

O tetracampeão mundial de boxe Acelino Popó Freitas, 42, anunciou que vai disputar uma cadeira no Senado pela Bahia.

Recém-filiado ao PDT, Popó deve entrar na disputa com uma candidatura independente: não fará parte da chapa do governador Rui Costa (PT), candidato a reeleição, nem da chapa da oposição, cujo principal candidato é José Ronaldo (DEM).

Como um lutador que arrisca tudo por um nocaute, quer ser um elemento surpresa no que considera uma das eleições mais abertas dos últimos anos.

“Acho que tenho chance porque vou fazer uma campanha falando diretamente para a população. O povo não está interessado em briga de partido, ele quer alguém que o represente de verdade”, disse à Folha o ex-boxeador.

Ao lançar-se para o Senado, Popó diz ter se inspirado no exemplo do ex-jogador Romário (Podemos), eleito senador pelo Rio de Janeiro em 2014 mesmo sem dispor de uma grande estrutura partidária.

Esta não será a estreia de Popó na política. O ex-pugilista foi deputado federal pelo PRB da Bahia entre 2011 e 2014, mas não conseguiu renovar o mandato na eleição passada.

Em 2016, cogitou disputar a eleição para vereador em São Paulo, mas desistiu. Mudou de partido, diz, porque o PRB era “muito voltado para o pessoal da igreja”. Sob novos ares, quer capitalizar o sucesso que teve como esportista para chegar ao eleitor baiano.

Para o presidente do PDT na Bahia, deputado federal Félix Júnior, a candidatura do ex-pugilista pode ganhar corpo numa eleição em que os partidos enfrentam uma crise de representatividade.

“Ele é um cara em que as pessoas tendem a se espelhar. É uma pessoa humilde, que veio e baixo e que nunca se envolveu com coisa errada”, diz.

Contra si, Popó terá adversários com entrarão na disputa sob fortes máquinas partidárias. No campo governista, o ex-governador Jaques Wagner (PT) e o deputado estadual Angelo Coronel (PSD) devem ser os candidatos. Na oposição, já está definido o nome do deputado federal Jutahy Júnior (PSDB).

Caso seja eleito, Popó promete ir para o Congresso com bandeiras bem definidas: esporte, educação e a defesa da população LGBT. A causa LGBT é uma novidade na vida do esportista, que há cerca de um ano soube que um de seus cinco filhos é homossexual.

“Tenho um filho gay e sei que são pessoas que enfrentam todo tipo de preconceito e dificuldade. Quero representá-los também”, diz.