Falso médico tenta aplicar golpe em pacientes da Santa Casa; confira áudio

0

Familiares de Maria de Fátima, 54 anos, internada na Santa Casa de Campo Grande, foram alvos de uma tentativa de golpe ocorrida na manhã desta quinta-feira (28). Um homem, que se identificou como ‘Dr.’ Rodrigo Menezes, ligou para o filho da paciente solicitando autorização para que a mãe fizesse exames em uma clínica fora do hospital pela rede particular.

Em gravação cedida pela família, o falso médico ligou para o filho de Maria de Fátima, Michel Rodrigo, de 34 anos. Na conversa, o falsário apresenta o suposto quadro clínico da mãe e pergunta se o jovem trabalha na área da saúde. Com a negativa, o homem inicia o golpe.

Ele afirma que a mãe apresenta uma suposta infecção no pâncreas, que seria KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase), que acomete crianças, idosos, pessoas debilitadas, com doenças crônicas e imunidade baixa ou submetidas a longos períodos de internação hospitalar (dentro ou fora da UTI), que correm risco maior de contrair esse tipo de infecção.

Segundo o falsário, para identificar a doença com urgência seria necessário fazer três tomografias computadorizadas LKS MultiLife em 3D, que não estariam disponíveis na Santa Casa . O golpista ainda afirma que, caso o plano de saúde da Cassems não liberasse, a paciente poderia fazer o exame fora do hospital, mas em uma clínica privada.

Desconfiado, Michel disse que iria pessoalmente ao hospital falar com o médico responsável. O falso médico ainda tentou dar a última cartada, dizendo que o médico ‘não estaria por dentro’, que ele seria clínico geral e não infectologista. Diante da negativa, desligou a ligação.

Ouça a conversa:

Em entrevista ao TopMídiaNews, Antônio Carlos da Costa Moreira, 29 anos, também filho de Maria de Fátima, disse que, na noite anterior, ele e o irmão Michel conversavam justamente sobre esse tipo de golpe e, que ontem pela manhã, o irmão recebeu a ligação. “Nós vimos a placa ontem na Santa Casa, que ela não entra em contato com familiares por telefone. O meu irmão desconfiou e, após a ligação, procuramos o SAC da Santa Casa. Lá eles nos recomendaram a fazer um Boletim de Ocorrência e que, além de nós, mais três pessoas tinha caído no golpe. Um, inclusive, chegou a depositar R$ 2,8 mil”, conta.

“O que nos preocupa é que eles tinham o nome da minha mãe, sabiam o que ela tinha, e até sabiam o plano de saúde. Ficamos preocupados porque nós queremos saber como essa pessoa teve acesso a essas informações privilegiadas. Não sabemos se foi pela Santa Casa ou pelo plano de saúde”, explicou.

Michel Rodrigo também informou que deve procurar a Polícia Civil para registrar o golpe. O jovem está acompanhando a mãe, que deu entrada pelo ProntoMed no dia 13 de dezembro, vítima de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e segue internada no CTI da Santa Casa.

Repostas 

A assessoria de imprensa da Santa Casa informou que tomou conhecimento do caso e que esse tipo de golpe é recorrente às famílias de pacientes. Mas lembra que o hospital não liga para os familiares para pedir qualquer coisa. “Quando há casos de urgência, a pessoa responsável liga e pede para o familiar comparecer aqui. Nós também não damos informações via telefone e nossos funcionários não são autorizados a passar informação para quem quer seja”.

Ela afirma, “mas temos 1,3 mil funcionários, há um giro muito grande de pessoas, e pode ocorrer de funcionários novatos falarem algo de alguém ligar e se passar por médico. Mas todos são orientados a não passar nada via telefone”.

A assessoria ainda confirmou que outras pessoas também chegaram a receber ligações do falso médico, mas que não foi possível saber se alguém chegou a depositar algo. “Tem coisas que nem chegam ao nosso conhecimento”, afirma.

Por fim, o hospital também tranquiliza pacientes, dizendo que não há possibilidade de o sistema interno ser hackeado, e que não há possibilidade de saber como o falso médico conseguiu os dados da paciente.

Já a Cassems informou que, quando recebe esse tipo de reclamação, realiza auditoria interna para verificação, porém todas as operações financeiras são feitas entre hospital e operadora, sendo que o plano de saúde não faz contato diretamente com o paciente. A empresa ainda alerta que não faz parte do protocolo despachar por telefone. Em caso de problemas, a Cassems solicita que o beneficiário vá pessoalmente à sede da unidade resolver as questões.

Polícia

TopMidiaNews conversou com o titular da Derf, Reginaldo Salomão, que informou que os familiares devem se prevenir ao receber uma ligação como essa. “Primeiro caso ir até a unidade hospitalar e, segundo passo, não fazer qualquer depósito”. Salomão ainda afirma que os golpistas podem conseguir informações de pacientes de qualquer lugar, inclusive do Facebook.

A pessoa que for flagrada cometendo esse tipo de crime pode responder por crimes como estelionato, furto mediante fraude ou extorsão. “Extorsão é o crime mais grave. Se for extorsão o caso vai para a Derf, os outros são investigados na Dedfaz. Mas o cidadão pode procurar qualquer delegacia para registrar a denúncia”, finaliza.

Enfurecida, empresária atira três vezes no marido e foge em moto

Empresária de 42 anos atirou três vezes conta o marido, de 40, após discussão na conveniência em que são proprietários, no Bairro Paulo Coelho Machado, em Campo Grande. O caso aconteceu na noite desta quinta-feira (28) e após o crime, a autora fugiu em uma motocicleta.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, por volta das 22h30 equipe da Polícia Militar foi acionada para a ocorrência. No local, os militares encontraram o homem com ferimentos provocados por arma de fogo no braço e nas costelas.

Aos policiais, a vítima disse que durante uma discussão foi sido atingida pela companheira, porém não informou o que teria motivado a briga. Ele foi socorrido e encaminhado por equipe do Corpo de BOmbeiros para a Santa Casa.

Em vistoria no local do crime, que também é a casa do casal, foram encontradas 396 gramas de maconha, nove munições de calibre 32 e três de calibre 38. O material foi encaminhado para a delegacia e o caso registrado como tentativa de homicíd