Definição sobre candidatura do MDB sai na quinta, diz Simone Tebet

0

Um dia depois do ex-governador André Puccinelli (MDB) desistir da candidatura ao Governo do Estado e indicar Simone Tebet para assumir a disputa, a senadora afirma que foi surpreendida com a oferta, mas que a confirmação do nome dela como candidata do MDB sai na próxima quinta-feira (2).

Em entrevista ao Jornal Midiamax nesta segunda-feira (30), Tebet afirmou que a decisão do partido em lançá-la como candidata será confirmada daqui a dois dias durante convenção nacional da sigla. Até lá, o assunto é discutido entre o MDB e também os partidos que já confirmaram aliança partidária.

Sobre as alianças, a senadora prefere não interferir no processo para evitar mudanças no que já vem sendo tratado pelo partido. “Estou evitando [interferir] para deixar o partido à vontade, está muito adiantado o processo”, disse, citando aguardar resposta do DEM em relação a apoio.

Tebet também conta que foi surpreendida ao ser convidada por André para substituí-lo na corrida eleitoral. A senadora que está concluindo o primeiro período de quatro anos do mandato afirma estar pronta para a disputa.

“Sem dúvida estávamos no plano da candidatura do André porque estranhamos muito ele não poder responder em liberdade, mas eu soldada do partido e estou pronta. Faço parte de um partido que acredito, principalmente porque o MDB de Mato Grosso do Sul é muito diferente do MDB do Brasil hoje. Temos história em cada município desse Estado”, conclui.

Simone ainda criticou a prisão do ex-governador Puccinelli e lembrou que a mudança nos planos do partido não muda o emprenho da legenda em conseguir a soltura de André. “Não estamos abandonando, vamos acompanhar o processo dele”.

Com a candidatura confirmada, a senadora não precisa, necessariamente, se afastar do cargo no Senado. É possível, conforme legislação eleitoral, permanecer como senadora e disputar eleição no Estado. Tebet afirma que ainda estuda qual será a estratégia caso se confirme como candidata ao Governo, e diz que se houver afastamento do Senado, o prazo seria de no máximo 45 dias.

Trajetória

Simone começou sua carreira na Assembleia Legislativa atuando como consultora técnica jurídica entre 1995 e 1997. Depois, foi diretora técnica legislativa até 2001. Foi eleita deputada estadual pelo então PMDB em 2002, encorajada pelo apoio de grandes nomes da política do Estado, entre eles, o seu pai, Ramez Tebet.

Em 2004, decidiu concorrer à prefeitura de Três Lagoas e se tornou a primeira mulher a governar a cidade, obtendo 66,72% dos 43.832 votos. Em 2008, foi reeleita com uma das maiores aceitações do Estado, atingindo 76% dos votos válidos.

Em 2011 assumiu o cargo de vice-governadora de Mato Grosso do Sul ao lado do então governador do Estado André Puccinelli. Como vice-governadora teve um papel atuante, esteve oito vezes interinamente à frente do governo, e foi a primeira mulher a ocupar esta posição.

Em 2014 Simone foi eleita ao Senado Federal com 640.336 mil votos, o que corresponde a 52,61% do eleitorado de Mato Grosso do Sul.