Miglioli diz que inchaço no PSDB é um ‘bom problema’ para campanha

10

O pré-candidato ao Senado Federal pelo PSDB, Marcelo Miglioli, disse durante agenda neste sábado (30) com o nome do partido para a Presidência da República, Geraldo Alckmin, que o grande número de nomes para aliança com a sigla é um bom problema. Os tucanos têm dois nomes que pretendem ocupar uma cadeira de senador, Miglioli e o deputado federal Geraldo Resende.

Além dos nomes dentro do ninho, também pretendem ocupar a chapa majoritária do partido o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB), pré-candidato a reeleição, Pedro Chaves, e caso Reinaldo Azambuja, governador do Estado, queira uma aliança com DEM precisa encaixar o ex-prefeito de Dourados Murilo Zauith.

“É um bom problema, o duro é se não tivéssemos nomes para a chapa e temos nomes. Eu fiquei três ano e três meses e tenho para mostrar o meu trabalho. Não acredito em venda de sonho”, destacou lembrando o tempo que ocupou o cargo de secretário de Infraestrutura na administração de Reinaldo Azambuja.

Miglioli deixou a pasta após ser escolhido pelo partido entre ele e o secretário de Governo, Eduardo Riedel, que também queria disputar uma vaga ao Senado Federal. Pré-candidato a reeleição, Azambuja já disse em diversos momentos que nenhuma vaga da majoritária está garantida, a não ser a dele, e que apenas nas convenções que os nomes devem ser divulgados.