Lutador que matou hóspede consegue vaga para transferência.

132

Depois de oito meses de espera, o lutador Rafael Martinelli de Queiroz, condenado a 10 anos por matar um hóspede dentro de hotel em Campo Grande, conseguiu vaga e deve ser transferido para o estado de São Paulo, em caráter de permuta, como solicitado pela defesa.

Ele está recolhido no Instituto Penal da Capital (IPCG) e já teve a autorização concedida pelo juiz Alexandre Antunes da Silva, da 1ª Vara de Execução Penal, mas ainda aguarda decisão favorável da justiça paulista.

Para que Rafael vá para Araçatuba (SP), onde pretende cumprir pena perto da família que vive na região, outro preso precisa vir para o sistema penitenciário de Mato Grosso do Sul.  Cleber de Souza Falcão, que encontra-se preso em Andradina (SP), região da comarca de Araçatuba, demonstrou interesse e encaminhou pedido de troca.

De acordo com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), a solicitação de transferência está no sistema, aguardando apenas aval do judiciário.

HOMICÍDIO
Praticante de jiu-jitsu, Rafael foi condenado no ano passado a 10 anos de prisão, em regime fechado, por matar o engenheiro Paulo Cézar de Oliveira, 48 anos, dentro de um hotel em Campo Grande. Rafael foi acusado de homicídio qualificado por meio cruel e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima.

Na ocasião, o juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida considerou o laudo que apresenta Síndrome de Borderline e, por isso, reduziu a pena em um terço, de 15 para dez anos, partindo do princípio da semi-imputabilidade. Ou seja, por conta da condição, não seria totalmente capaz de responder por seus atos.

O crime aconteceu no dia 18 de abril de 2015. No dia, ele brigou com a namorada, de 25 anos, a agrediu com socos e tapas. Em seguida, saiu do apartamento em que estava hospedado, invadiu quarto onde Paulo Cézar hospedou-se e o agrediu até a morte, golpeando-o com uma cadeira. Os golpes foram na cabeça.